[Infográfico] Pesquisa de intenções do uso do 13° Salário em 2019

O 13º salário deve injetar R$ 214,6 bilhões na economia brasileira neste ano – uma alta de 1,6% em comparação ao ano passado.

Recebem o 13º salário aposentados e pensionistas do INSS e todos os trabalhadores em regime CLT.

Pensando nisso, a Intervalor realizou mais uma vez a pesquisa anual de intensões do uso do 13° Salário. Cujo objetivo é entregar informações valiosas, desta vez em forma de um infográfico, sobre como seus devedores irão utilizar essa renda extra do final do ano. 

Panorama do mercado

No atual contexto do país, já é possível afirmar que para cada vaga de trabalho com carteira assinada, outras 3 correspondem ao mercado informal.

Isso significa uma alta do não recebimento dos recursos previstos em lei para uma parcela dos trabalhadores.

Além disso, o aumento do desemprego nos últimos anos, estimulou muitos brasileiros a empreender – abrindo um pequeno negócio próprio por exemplo; ou ainda, a exercer uma atividade autônoma como é o caso dos motoristas de aplicativo.

Todos esses trabalhadores, não poderão contar com esse valor extra.

Expectativa para o recebimento do 13°

De acordo com o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), cerca de 81 milhões de brasileiros devem receber o 13º.

Essa informação é vista com bons olhos pelo mercado, pois se pararmos para analisar, ainda neste ano, cerca de 40% da população adulta foi considerada como inadimplente.

Pontos analisados na pesquisa do 13°, edição 2019

  • Quantos irão receber o decimo terceiro salário;
  • Quais vão utilizar esse beneficio para quitar suas dividas;
  • Quais serão os principais gastos para priorizar.

Para quem esse infográfico é útil? 

Anualmente a Intervalor realiza a pesquisa de intensões de uso do 13°. Ela se destina a todos os profissionais do mercado financeiro, em especial, para os que trabalham com gestão de cobrança, seja internamento ou por meio de uma assessoria especializada.

O principal objetivo é sempre o de fornecer insights valiosos em relação à provisão de recuperação de crédito ao final do ano.